Skip to main content

IPO (Initial Public Offering) é uma abreviação em inglês da expressão “Oferta Pública Inicial”. Como o próprio nome sugere, significa a primeira venda de ações de uma empresa ao público.

Esse processo também é conhecido como abertura de capital, e compreende a primeira vez em que o proprietário renuncia parte de sua empresa em favor de acionistas externos.

O número de IPOs emitidos pelas empresas confere um sinal de força ao mercado de ações, e também aponta as diretrizes das condições econômicas nacionais. 

Durante momentos de recessão, o que se verifica é uma queda na quantidade de IPOs. Em contrapartida, o aumento de IPOs indica que a economia está em ascensão. 

 Vale a pena investir em um IPO?

Muitos investidores ficam entusiasmados com a possibilidade de uma oferta pública inicial. Isso porque têm a oportunidade de comprar as ações a um preço muito baixo e, em seguida, verificar o preço subir de forma rápida e acentuada.

O que muitas pessoas não sabem é que, se você não entender os aspectos positivos e negativos desse investimento, pode ser uma escolha perigosa.

Vantagens para investidores

O IPO é um momento emocionante para os investidores, porque as ações iniciais geralmente são disponibilizadas apenas para aqueles que sabem sobre a existência delas, e muitos investidores preferem entrar “no piso térreo”, ou seja, no momento inicial das vendas.

A grande vantagem está justamente na possibilidade lucrativa: quando um IPO é vendido pela primeira vez na bolsa de valores, o seu valor tende a subir gradativamente, resultando em lucros para os acionistas. 

Desvantagens para investidores

Às vezes, os preços das ações dispararam inicialmente, mas podem cair poucos dias depois. Por isso, é importante avaliar os possíveis riscos da operação e a estratégia que melhor se adequa ao seu perfil e aos seus objetivos.

 As Vantagens e desvantagens do IPO para a Empresa

Vantagens

Uma oferta pública inicial é uma ocasião importante para a empresa, porque representa que a atividade foi bem-sucedida o suficiente a ponto de necessitar de mais capital para continuar crescendo. Normalmente, essa é a única maneira de uma empresa angariar fundos para expansão em larga escala.

  •         Lucros para os proprietários: Para os proprietários, é hora de usufruir seu trabalho árduo. Como resultado, eles geralmente vendem uma grande parte de suas ações e, portanto, ganham um retorno financeiro no dia que a empresa se torna pública.
  •         Atrair mais talentos profissionais: o processo de IPO também pode fazer a empresa atrair os melhores talentos, oferecendo a opção de receber ações. Eles podem pagar salários mais baixos a esses primeiros executivos, e prometer um retorno considerável com a abertura de capital. 

Desvantagens

Infelizmente, esse processo exige muito trabalho e pode dispersar a atenção comercial dos líderes da empresa, prejudicando os lucros.

  •         Processos caros e burocráticos: é necessário contratar um banco de investimento para ajudar a resolver a complexidade do processo, o que pode ser caro.
  •         O proprietário está preso com o estoque: o proprietário pode não receber o valor em dinheiro de suas ações alienadas, porque o investidor pode forçá-lo a reinvestir todos os fundos no próprio negócio. Portanto, mesmo que o proprietário possua ações, ele pode ser proibido de vendê-las ou sofrer restrições de negociação.
  •         Falta de controle da empresa: O proprietário pode perder o controle de administração da empresa.
  •         Falta de confidencialidade dos negócios: As empresas de capital aberto enfrentam inspeções mais rigorosas da CVM (Comissão de Valores Mobiliários) e dos próprios acionistas, o que faz com que muitos detalhes sobre os negócios se tornem públicos, propiciando informações valiosas para os concorrentes.

O Processo de IPO

Esse processo leva cerca de 1 ano e seus custos podem ser altos. A maioria das empresas optam por nomear um indivíduo como gerente de projeto na equipe. A equipe da IPO, por sua vez, é composta por:

  •         Banqueiro de investimento;
  •         Especialista da CVM no Brasil;
  •         Advogados;
  •         Contadores.

Após a formação da equipe, o próximo passo é começar a coletar as informações financeiras necessárias. Isso inclui a identificação, venda ou exclusão de ativos não rentáveis, buscando áreas em que o fluxo de caixa possa ser aumentado. 

Algumas empresas também estão à procura de uma nova administração e conselho de administração, para que possam operar a transição para o mercado aberto com segurança.

A Urso Consultoria agradece a leitura do artigo disponibilizado na plataforma online e espera ter contribuído de alguma forma com o seu conhecimento sobre o tema. Nossa equipe aproveita o ensejo para indicar outros conteúdos do nosso blog e para convidá-lo a conhecer um pouco mais sobre a nossa atuação.