Skip to main content

À medida que a crise relacionada ao Covid-19 se intensificou e se estendeu, muitas empresas acharam difícil manter seus compromissos financeiros, como pagar impostos ou pagar salários dos funcionários. Em muitos casos, a alternativa da empresa é buscar linhas de crédito, mas os caminhos não são tão simples e há espaço para escolha.

• Empréstimo para pagamento da folha salarial – Programa Emergencial de Suporte a Empregos – MP-944/2020

A Medida Provisória nº 944/2020 institui o Programa Emergencial de Suporte a Empregos, destinado à concessão de empréstimos a empresários, sociedades empresárias e sociedades cooperativas, exclusivamente para o pagamento da folha salarial, em razão dos impactos causados pelo Corona vírus nas relações de emprego.

• Crédito Digital – BNDES Pequenas Empresas – direcionado à Micro e Pequenas empresas instaladas e sediadas no estado de São Paulo, com faturamento anual entre R﹩ 81 mil e R﹩ 4,8 milhões. Para saber mais – http://www.desenvolvesp.com.br/

• Crédito Digital – Giro Rápido – direcionado às seguintes empresas instaladas e sediadas no estado de São Paulo: Micro, Pequenas e Médias empresas com faturamento anual superior a R﹩ 81 mil até R﹩ 90 milhões. Para saber mais – http://www.desenvolvesp.com.br

• Crédito Digital – Audiovisual, Economia Criativa, Turismo e Comércio – direcionado às empresas que possuem CNAE específicos, instaladas e sediadas no estado de São Paulo.

• Crédito para folha de pagamento de MPMEs – Crédito emergencial para empresas com faturamento anual entre R﹩ 360 mil e R﹩ 10 milhões, exclusivamente para pagamento da folha de salários de funcionários.

• Mais capital de giro – BNDES Crédito Pequenas Empresas – O BNDES expandiu a oferta de capital de giro desta linha de crédito para negócios com faturamento anual de até R﹩ 300 milhões até 30 de setembro de 2020 – http://www.bndes.gov.br/

• Linha emergencial – setor de Saúde – crédito para ampliação de leitos e da oferta de equipamentos e materiais médicos e hospitalares, com possibilidade de tomada de até R﹩ 150 milhões por grupo econômico, a cada período de 6 meses. http://www.bndes.gov.br/

Fonte: www.jornalcontabil.com.br

Leave a Reply